“O Bosque Soturno”: Thriller de Neil Labute apresenta excelente montagem no Teatro dos 4

Por Paulo Fernando Góes

Os cariocas finalmente têm a oportunidade de conferir “O Bosque Soturno”, montagem de qualidade excepcional do texto de Neil LaBute que já cumpriu duas bem-sucedidas temporadas em São Paulo. O espetáculo está em cartaz no Teatro dos 4, no shopping da Gávea, somente às 4as feiras, até o dia 17 de abril. Conferimos a estreia da montagem londrina, com Matthew Fox (o médico Jack da série “Lost”) e Olivia Williams, dirigida pelo próprio LaBute e garantimos: a versão brasileira de “In a Forest, Dark and Deep” preserva a excelência que apresentou a montagem londrina.

E72A0055

“O Bosque Soturno”: Em cartaz somente às 4as feiras, espetáculo cumpre curta temporada no shopping da Gávea. FOTO: Natália Angelieri.

A história traz à tona uma densa relação entre irmãos, vivida pelos atores Cristiane Wersom e Pedro Bosnich. O casal também está em cartaz com o espetáculo “Na Cama”, no mesmo teatro, às 3as feiras. Cristiane vive Betty, uma professora universitária, que convida Bobby (Pedro Bosnich), seu irmão mais novo e trabalhador de vida simples, para ajudá-la a esvaziar um chalé alugado, até então desconhecido por ele. Com diálogos cheios de agressividade e mágoa, a trama mistura pitadas de humor ácido e fortes emoções dramáticas (características dos textos de LaBute, que fogem do politicamente correto) e conduz os protagonistas a conflitos densos, revelando sutilmente segredos e segundas intenções. Aos poucos, estes sentimentos também envolvem o público. As muitas reviravoltas que o texto traz e a brilhante atuação dos atores prende a atenção da plateia do começo ao fim. Na sessão de estreia, não se viu ninguém olhando o relógio ou celular durante os 65 minutos que o público acompanhou o thriller. A história é daquelas que não podem ser muito explicitadas para não estragar as surpresas que esconde.

E72A0369

Cristiane Wersom e Pedro Bosnich: Atores conseguem fazer com que a plateia não se desconecte nem por um minuto do thriller de Neil LaBute. FOTO: Natália Angelieri.

Outro ponto alto do espetáculo é a direção de Otávio Martins e a belíssima iluminação, que clareia os personagens à medida em que os fatos e as relações se expõem. Como o diretor explicita, “O Bosque Soturno” é “uma metáfora do próprio universo psíquico humano”. A contraditória relação de independência e de proximidade dos dois protagonistas, traz à plateia uma envolvente história, que testa a todo tempo os limites dessa relação. Uma peça densa, complexa, à altura do (mau) humor de LaBute.

 

“O Bosque Soturno”

Texto: Neil LaBute

Tradução e Adaptação: Flávio Moraes

Direção: Otávio Martins

Com Cristiane Wersom e Pedro Bosnich.

4as feiras, às 21 horas

Teatro dos Quatro (Shopping da Gávea)

Duração: 65 minutos

Ingressos: R$40 (inteira) | R$20 (meia-entrada)*

*Cliente Porto Seguro paga meia

Somente até 17/4/19!

Comente via Facebook