Tônia Carrero é homenageada em nova produção de “Navalha na Carne”

Por Redação

Tônia Carrero pode ter nos deixado há mais de um ano, mas o seu legado é perpétuo. E é a este legado que Luisa Thiré, neta da artista, recorre para homenagear a atriz com uma nova temporada de “Navalha na Carne” e a exposição “Eterna Tônia”, neste mês de abril.

“Navalha na Carne” é uma peça de Plínio Marcos que alçou Tônia Carrero ao estrelato no teatro. Luísa revive a personagem que foi interpretada pela avó no palcos, a prostituta Neusa Sueli. Nesta produção, a atriz está acompanhada de Alex Nader, no papel do violento cafetão Vado e de Ranieri Gonzalez, como o faxineiro e homossexual Veludo, suspeito de roubar o dinheiro que Neusa deveria entregar a Vado. Neste microuniverso claustrofóbico criado por Plínio, os três se envolvem em disputas de poder ao mesmo tempo em que narram a sua história como figuras à margem da sociedade. A montagem estreou originalmente no SESC São Paulo, no dia 23 de agosto, data de nascimento de Tônia, que completaria 96 anos se estivesse viva.

1 (1)

A produção adotou um tom realista, beirando a crueza da vida, sem no entanto situar a narrativa em uma espaço determinado no tempo, mas respeitando o texto de Plínio. A proposta é entregue pela cenografia de Sérgio Marimba, figurino de Marcelo Marques, iluminação de Paulo César Medeiros, visagismo de Rose Verçosa e design de Victor Hugo Cecatto. Acompanham ainda o time criativo Sueli Guerra na complexa direção de movimento, Ana Frota, responsável pela preparação vocal e Marcelo Alonso Neves, que assina a direção musical.

“Navalha na Carne” foi lançada no circuito cultural em 1967, também em São Paulo, em uma produção de Walmor Chagas e Cacilda Becker com os atores Edgard Gurgel Aranha, Ruthneia de Moraes e Paulo Villaça no elenco. Tônia fez parte da montagem carioca, censurada pelo Governo Militar da Ditadura. O texto só voltou a ser encenado novamente em 1980. A obra também já foi adaptada duas vezes no cinema: a primeira em 1969 com Jece Valadão no elenco e a segunda em 1997, com a atriz Vera Fischer.

1 (3)

Antes do espetáculo, o público assiste a um curto vídeo sobre a carreira de Tônia Carrero, com depoimentos da própria homenageada e do autor Plínio Marcos, falecido em 1999. No foyer do Sesc Copacabana, o público confere ainda a exposição “Eterna Tônia” com objetos que relembram a trajetória de Tônia. Após a temporada do SESC, o espetáculo segue para o Teatro Gláucio Gill, também em Copacabana.

“Navalha na Carne”, de Plínio Marcos

Direção: Gustavo Wabner

Com Luísa Thiré, Alex Nader e Ranieri Gonzalez.

Sesc Copacabana
Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana
De quinta a domingo, às 19h
Duração: 75 minutos
Classificação: 16 anos
Até 28/04/19

Comente via Facebook