“Annie” é o oposto do vitimismo e dialoga com a tão proclamada Psicologia Positiva.

Por Paulo Neto.

Annie – The Musical” estreou na Broadway no final dos anos 70, com música de Charles Strouse (“Bye Bye Birdie”), letra de Martin Charnin e libreto de Thomas Meehan (“Hairspray”, “Os Produtores”). A inspiração veio das tirinhas (HQ’s) “Little Orphan Annie”, de Harold Gray, publicadas pela primeira vez nos anos 30. “Annie” virou filme em 1982 e houve um remake há 4 anos. A história da adorável órfã, apesar de situar sua ação na época da Depressão Americana, possui apelo absolutamente universal. 

Annie tem 11 anos, foi abandonada pelos pais num orfanato decrépito, mas mãos de uma mulher cruel e, ainda assim, é generosa, alegre e grata. Ela poderia ser uma criança amarga e triste, mas encara a vida com um engajamento empolgante. Annie é o oposto do vitimismo. O musical dialoga com a tão proclamada Psicologia Positiva: abraçar o mundo com felicidade e boa-vontade e este mesmo mundo girará de forma a nos beneficiar, nos “devolvendo” o que entregamos no início.

A exultante revelação Luíza Gattai tem, não somente a voz afinada e limpa, mas genuíno carisma e desenvoltura dramática. Acerta no bate-bola com atores experientes, acrescenta sutilezas e gestuais que recheiam de comicidade e encanto sua personagem. Vê-la cantar as antológicas “Maybe” e “Tomorrow” é de preencher o coração. Luíza Gattai remete a Malu Rodrigues ainda menina. 

O ensemble infantil também chama a atenção pela incontestável qualidade vocal e pela esperteza em coreografias e cenas de comédia. Hoje é possível afirmar que temos, no Brasil, crianças incrivelmente bem preparadas para cantar, atuar e dançar na seara do teatro musical. As garotinhas arrebentam no empolgante número “It’s The Hard Knock Life” (Vida Dura, Irmão). 

Foto: DIVULGAÇÃO

Foto: DIVULGAÇÃO

Miguel Falabella dirige com grande destreza, imprimindo agilidade nas fusões das cenas e extraindo ótimas interpretações. Ao personificar Oliver Warbucks, o milionário que adota Annie, ele ainda consegue comover. O jogo de cena entre ele e Luíza Gattai é primoroso. 

Ingrid Guimarães encarna a vilã, Srta. Hannigan, a administradora do orfanato, com sagacidade e fina ironia. Ela sabe viver aquele tipo de mulher perversa que adoramos odiar. Suas cenas são hilárias. 

O estupendo Cleto Baccic (protagonista de “O Homem de La Mancha”), mais uma vez, arrebata com sua enorme segurança, técnica vocal e dramática, ao encarnar Rooster, o irmão farsante da vilã. É um ator e cantor completo, capaz de qualquer feito no palco, em qualquer personagem. 

O elenco coadjuvante também tem os ótimos Elton Towersey (o apresentador de rádio Bert Healey), Carol Costa (a trambiqueira com voz esganiçada) e Bernardo Berro (o rechonchudo Boundles). Todo o ensemble desdobra-se em dezenas de personagens e rápidas trocas de cena. 

A cenografia é do britânico Matt Kinley, que atua na Broadway e no West End (“Miss Saigon”, “Les Misérables”) e, no Brasil, criou os visuais de espetáculos como “Chaplin” e “O Homem De La Mancha”. Convidar cenógrafos estrangeiros para colaborar em produções brasileiras tem sido um acerto. Temos grandes profissionais no Brasil, mas set designers que atuam exclusivamente com teatro musical em Nova Iorque e Londres trazem uma credibilidade e um bom gosto que abrilhantam ainda mais uma produção brasileira. 

ANNIE é mais um espetáculo musical de altíssima qualidade criado pelo Atelier de Cultura, que nos brindou com maravilhas como “O Homem De La Mancha”, “A Madrinha Embriagada” e a recente montagem de “A Noviça Rebelde”. São horas de alumbramento, diante de tanta competência, poesia e talento. É um musical que se tem vontade de ver inúmeras outras vezes, só para comprovar os talentos das outras atrizes-mirins para prestigiar os trabalhos dos subs (atores-substitutos). 

Resumindo em uma palavra: impecável.

“Annie – O Musical”

Teatro Santander (Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi – São Paulo)

5as e 6as, às 21h

Sábados, às 16h30 e 21h

Domingos, às 15h e  19h

Ingressos: De R$ 37,50 (meia) a R$ 310 (inteira)

Vendas online: ingressorapido.com.br

Comente via Facebook