“Alice Mandou um Beijo”: Premiado diretor, Rodrigo Portella apresenta seu espetáculo autoral no Teatro Glauce Rocha.

Por Cristiano Ayres.

Terceiro espetáculo da Cia Cortejo, “Alice Mandou um Beijo” retornou aos palcos da cidade em 17 de janeiro para uma curta temporada no Teatro Glauce Rocha, no Centro, com apresentações às quartas e quintas, às 19h, até 08 de fevereiro. O espetáculo concorreu na categoria Melhor Texto Inédito no Prêmio Cesgranrio e Botequim Cultural. “Alice Mandou um Beijo” é dirigida e escrita por Rodrigo Portella, vencedor do Prêmio CESGRANRIO pela direção do espetáculo “Tom na Fazenda”, grande sucesso dos palcos de 2017. Os figurinos são de Daniele Geammal, a iluminação é de Renato Machado, a trilha sonora de Leo Marvet e a cenografia, de Raymundo Pesine e Rodrigo Portella.

FOTO: Danillo Sabino

FOTO: Danillo Sabino

Rodrigo Portella divide a direção com Léo Marvet. A dupla considera que a simplicidade da encenação reforça o interesse da companhia em apostar no diálogo direto e honesto entre o espectador e o ator. Essa é a mais importante ferramenta estética para o bom desenvolvimento do trabalho da Cia Cortejo.

Quando o espetáculo inicia, a personagem que dá nome ao título da peça está morta. Alice não faz mais parte daquela família e essa perda é o estopim para desencadear os conflitos e revelar as fragilidades das relações dos integrantes daquele clã.

O espetáculo traz como elemento principal da narrativa a abordagem da questão da morte pelo viés da “presença da ausência” da personagem, pois a falta que Alice faz naquela residência é pontuada ao longo de toda a peça. Alice é lembrada em detalhes, bem como na citação da música “Isn’t she lovely”, de Steve Wonder, sua canção favorita.

No elenco, todos estão excelentes, com destaque para o ator Luan Vieira, que vive o jovem Rogério, sobrinho de Alice que é deficiente mental. O ator apresenta um ótimo trabalho corporal que dá veracidade e emoção na dose certa ao seu personagem.

A peça é um resgate das memórias de infância do autor, nascido e criado no município de Três Rios, no Centro-Sul Fluminense. Rodrigo aprecia o tema ‘família’, que também está presente em “Tom na Fazenda”. “Quando eu era criança, minha mãe era só a minha mãe. Toda aquela família encharcada de tios e primos de variados graus parecia, aos meus olhos, tipos bem definidos: o tio bonachão, o primo esperto, a avó afetuosa, o pai que me roubava a mãe às madrugadas, o irmão que era o meu avesso, o padrinho e seus extraordinários presentes de aniversário, a prima a quem todos fingiam namorar… Tudo parecia estável, eterno e definitivo. Só mais tarde, bem mais tarde mesmo, fui perceber que aquelas pessoas eram muito mais complexas. Me dei conta que o que enxergava antes era só uma pontinha de um volumoso e assustador iceberg”, revela Rodrigo.

Quem quiser assistir o espetáculo do premiado diretor, tem que se apressar. Esta será a última semana da peça no Teatro Glauce Rocha, no Centro do Rio de Janeiro.

“ALICE MANDOU UM BEIJO”

De Rodrigo Portella

Direção: Rodrigo Portella e Léo Marvet

Com: Luan Vieira, Marcos Ácher, Ricardo Gonçalves, Suzana Nascimento e Vivian Sobrino.

Teatro Glauce Rocha (Av. Rio Branco, 179, Centro – RJ)

Ingressos: R$30 (inteira) e R$15 (meia)

Somente até 08/02!

Comente via Facebook